quinta-feira, 13 de setembro de 2012

Desafio - Dia 13

Dia 13 - Uma carta para alguém que te feriu recentemente (foto à escolha). 




Hoje faz 9 meses e treze dias em que uma decisão ia ser tomada por ti, uma decisão de cabeça quente, um impulso... um impulso que ia acabar com tudo, com uma felicidade futura, uma vida conjugal. Enfim, se essa decisão fosse tomada, eu iria chorar muito, ia ficar desolada, mas como o erro tinha sido meu, eu tinha desiludido, tinha que me conformar com a decisão e não ia rastejar atrás de ti, nem tão pouco, se o fizesses, tu para mim: tinhas morrido. Pois o mal que fiz, sei que o fiz, mas não foi nada comparado com traições, faltas de respeito, etc.  Se o fizesses aí via o quanto gostavas de mim, que seria muito pouco, infelizmente... Quem nunca errou? Que atire a primeira pedra! Pois, todos já erraram, todos merecem uma segunda oportunidade. Até tu nesse dia erraste, e sabes que erraste. E irias acabar com tudo?


"Só quando já for tarde demais

e nada mais houver a fazer

abraçado a mim vais querer respirar
mas não mais o irás fazer
E quando sentires que o mundo desabou
e só em mim tu vês um porto seguro
vais lembrar-te da verdade mais pura
foste tu quem decidiu p'los dois, este futuro"

Gostava que às vezes me entendesses, aliás tu entendes-me, apoias-me em tudo, mas há certas coisas de que discordamos... Discutimos, ferimo-nos, pedimos desculpa, fazemos as pazes e fica tudo bem! Fica tudo bem? Segundos antes de fazermos as pazes estava o caos e depois de uma palavra: "desculpa" fica tudo bem? Não infelizmente não fica tudo cem por cento bem e todos sabemos disso. Há coisas que dizemos e ferem, e às vezes são feridas que nunca cicatrizam tal como essa de à nove meses atrás... Sei que ficamos ambos "feridos" mas nós os dois tivemos a culpa. Mas ainda bem que fizeste essa questão na tua cabeça: "quem sou eu sem ela?". Talvez se inúmeras questões não te passassem pela cabeça, hoje seriamos eu e tu, e não nós. Custa-me que tu digas: "Se aquilo acontece mais uma vez deixo-te!"... Custa porque ninguém gosta de ouvir isso. Quem trai, ou mete o amor em causa sim deve-se dizer isso mas o que fiz tem perdão e merece uma segunda oportunidade.
Perdoar verdadeiramente exige esforço, dedicação e amor, não se deve pensar em quantas vezes se  perdoou, deve-se pensar em amar. E amar é perdoar, é  conseguir olhar o outro com compaixão, ver e compreender que ele também erra, todos nós erramos. Tu também erras e não gostarias de ser perdoado?


Amar é saber perdoar!

Ps.
Apesar de já ter passado, não foi esquecido... Mas eu amo-te e quero, contigo, esquecer isso!



14 comentários:

  1. Não quero que ela seja como eu porque sou bastante tímida (embora com o tempo tenha vindo a melhorar), tenho alguma dificuldade em integrar-me e fazer conversa, etc... Daí que não queira que ela se torne numa pessoa parecida comigo!
    Também sigo:)

    ResponderEliminar
  2. eu deixei-me disso, eu tenho comigo quem eu quero e quem me quer, mas continuam a existir essas pessoas, que antes foram tudo e agora são nada :c
    Não digas isso, não pode ser verdade o:

    ResponderEliminar
  3. Gostei muito deste texto, és uma pessoa muito forte :)

    ResponderEliminar
  4. oh, que lindo. Quando gostamos mesmo acabamos por perdoar, embora não esqueçamos...

    ResponderEliminar
  5. Obrigada *.*
    Também gostei muito!
    Está quase, então.

    ResponderEliminar
  6. well... tenho que dizer que desta vez, sobre a tua relação não vou comentar. mas de facto é importante que se amem e se respeitem um ao outro...

    ResponderEliminar
  7. essas pessoas existirão sempre, não há volta a dar :c
    Eu essa coisa das letras fui eu que pus, mas não é normal dar errado se está certo :c

    ResponderEliminar
  8. muito obrigada, é tão bom contar com o vosso apoio (:

    ResponderEliminar
  9. Oh, eu apenas limitei-me a sacar e pôr lá. Tento é pôr as imagens dentro do tema ;b

    ResponderEliminar
  10. é verdade :) Ainda bem que coisas se resolveram

    ResponderEliminar